Jovens machadenses participam de Plenária Regional do Parlamento Jovem em Ouro Fino

Autoridades religiosas se reúnem na Câmara para falar sobre o 1º fórum de Combate à Fome e à Miséria
6 de agosto de 2019
Vereadores participam de reunião em Poços de Caldas
2 de setembro de 2019

Estiveram na cidade de Ouro Fino (MG) no último dia 7, quarta-feira, oito jovens machadenses representando o município na Plenária Regional do Parlamento Jovem. Os participantes discutiram propostos sobre a temática “Preconceito Étnico Racial” e definiram sete que serão levadas a Belo Horizonte na etapa estadual do projeto.

Acompanharam os estudantes a servidora e Coordenadora do PJ em Machado, Geovana Signoretti e o professor Carlos Alberto Francisco.

Confira as propostas escolhidas:

Subtema 1:
DESIGUALDADES SOCIOECONÔMICAS

1- Realização de trabalho junto às comunidades periféricas, quilombolas, indígenas e ciganos, no âmbito do Programa Unidade Básica de Saúde – UBS-, para promover acompanhamento psicológico e de saúde, adepto a combater a desigualdade socioeconômica.

Subtema 2:
VIOLÊNCIAS POR MOTIVO ÉTNICO-RACIAL

1- Criação de grupos de ressocialização e apoio à pessoas negras que sofreram violência policial e exclusão social por motivos étnico-raciais com o acompanhamento de especialistas proporcionados pelo governo visando o cumprimento dos art. 52 e 53 da lei 12.288.

2- Criação de cursos pela Secretaria de Segurança Pública de Minas Gerais em parceria com a Polícia Militar, oferecendo capacitação para os militares na abordagem de indivíduos de diversas etnias

3- Aprimorar os critérios do art 11. Da lei 7289/1984 acrescentando um maior peso para a idoneidade moral com horas mínimas em grupos de apoio a igualdade étnico- racial visando o art. 53 da lei 12288/2010.

Subtema 3:
DIREITO ÀS IDENTIDADES E À DIVERSIDADE CULTURAL

1- Introduzir nas Escolas o projeto chamado “Solte o cabelo, prenda o seu preconceito”, que tem como objetivo estimular as crianças a se empoderarem, além de combater o bullying no ambiente escolar, em escolas públicas e privadas, desde o ensino fundamental ao ensino médio.

2- Inclusão de aulas práticas de capoeira na disciplina de educação física como fonte de formação da identidade cultural brasileira assegurada pelo art. 20 da lei 12.288/2010.

3- Criação da “semana da Diversidade étnica” nas escolas públicas e privadas abrangendo desde o ensino fundamental I até o médio, por meio de exposições, palestras, encontros, excursões e afins.